Conheça o Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante

O site Revisão Para Quê? publicou uma resenha sobre o livro Manual de Sobrevivência do Revisor Iniciante. Segundo o portal, a publicação é um verdadeiro guia profissional e mostra que há mais caminhos no mercado editorial do que podemos imaginar. Dicas gerais e conselhos pensados para o iniciante fazem parte do conteúdo, além de ser um aliado para tirar dúvidas de forma rápida e objetiva. Para ler, clique aqui.

Estadão desenvolve série com conteúdo especial em realidade virtual

O Estadão apresentou, nesta semana, duas novidades da sua incursão tecnológica. Desde a segunda-feira (5), o público pode ter em  mãos o caderno interativo da série “O Brasil que o Brasil quer”, com vídeos, áudios, infográficos interativos e galeria de fotos. E desde terça-feira (6), está disponível o Estadão Realidade Virtual, que mostra a viagem da blogueira Karina Oliani a Bonito (MS) em quatro atividades – trilha 4X4, rapel, mergulho e rafting. A realização e produção do projeto é da Academia de Filmes e toda a ação tem oferecimento da Mitsubishi. Para uma experiência completa, o leitor deverá usar óculos de realidade virtual....

Google anuncia a ferramenta Google News Lab University Network

Para auxiliar as faculdades de Jornalismo, que formam futuros repórteres  e moldam o futuro da mídia, o Google anunciou a  criação do Google News Lab University Network. A iniciativa pretende proporcionar aos educadores de jornalismo o mesmo nível de treinamento e apoio que oferece aos jornalistas nas redações. Atualmente 49 universidades de todo o mundo fazem parte da networking, uma rede projetada para fornecer treinamento em pessoa quando possível e materiais de treinamento on-line e apoio a professores e alunos sobre temas que vão desde fundamentos da ferramenta Google, checagem, narrativa imersiva, jornalismo de dados, pesquisa avançada e Google Trends, mapeamento...

Casa Pública como o point de jornalistas no Rio de Janeiro

A  Agência Pública de Jornalismo Investigativo, ocupa, desde março de 2016, uma casa em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, onde promove eventos, coletivas de imprensa e até festas e happy hours para jornalistas. O projeto, denominado de Casa Pública, atua em três frentes: produção cultural, com exposições e exibições de filmes, um projeto de residência para jornalistas estrangeiros, com bolsa de reportagens, e a organização de palestras de encontro de jornalistas, chamado de Conversa Pública.    

FLUPP 2016

FLUPP 2016

Alexandre Faria, Cristiane Costa e Miguel Conde são todos cúmplices do professor João Cezar. Já levantei a ficha. Fazem parte da banca de narrativas curtas da FLUPP Pensa 2016! As inscrições desse processo (só podia ser processo) terminam AMANHÃ no site: www.flupp.net.br

Informações em disputa: confiabilidade e a legitimidade nas redes virtuais

Informações em disputa: confiabilidade e a legitimidade nas redes virtuais

As redes sociais na internet se tornaram um campo de disputa de versões e narrativas. Como avaliar a confiabilidade e a legitimidade da informação na era da “massa de mídias”? O segundo debate do Rio de Encontros 2016 vai receber a coordenadora do curso de Jornalismo da UFRJ, Cristiane Costa, o midiativista Rafucko e a jornalista e coordenadora da agência de checagem Lupa, Cristina Tardáguila para debater sobre o assunto. O evento será no dia 19 de maio, quinta-feira, das 14:00h às 17:30h no auditório da ESPM/RIO. Ao final do debate, haverá lanche e troca de ideias. Endereço: Rua do Rosário, 111/ 8º andar...

Fanfictions na programação da Flupp

Fanfictions na programação da Flupp

A Festa Literária Internacional das Periferais (FLUPP) de 2015 receberá um grupo de leitores e autores de fanfictions – “ficção criada por fãs”, jovens reescrevem livros ou trechos de obras que admiram e as publicam nas redes sociais. Um bate-papo mediado pela professora Cristiane Costa vai discutir os critérios para a publicação de uma obra, que, para quem entende do assunto, pode trazer um sopro de novidade, como fizeram os bloggers e os youtubers para o mercado editorial. O festival acontecerá nos dias 3 a 8 de novembro.    

Mostra #Tuiteratura


Em encontro da mostra #Tuiteratura, Cristiane Costa, André Vallias e João Cézar de Castro Rocha debateram sobre a influência das mídias digitais como suporte para as criações literárias. O #Tuiteratura é uma mostra interativa de tuítes literários de autores consagrados e novos talentos da literatura contemporânea de língua portuguesa. André Vallias é poeta, designer gráfico e produtor de mídia interativa. João Cezar de Castro Rocha é professor de literatura comparada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. A mediação foi de Felipe Lindoso, jornalista, sócio-fundador e diretor da Editora Marco Zero, e consultor do Instituto Itaú Cultural.

Entrevista – Novas estratégias narrativas nas mídias

Entrevista – Novas estratégias narrativas nas mídias

Em um mundo marcado pelo crescente desenvolvimento dos meios tecnológicos, no qual as possibilidades interativas parecem ser infinitas, até a nossa maneira de ler e escrever dá sinais de mudança. Em entrevista exclusiva ao Globo Universidade, a professora Cristiane Henriques Costa apresenta as novas estratégias narrativas, possibilitadas a partir do surgimento das mídias digitais, e conta um pouco sobre os vários projetos que desenvolve nessa área. “As novas tecnologias, dispositivos, plataformas, programas e aplicativos vêm proporcionando, constantemente, a criação de novos formatos que abrem um labirinto de possibilidades aos autores, produtores e editores”, destaca. Leia mais

A Economia da Atenção

A Economia da Atenção

A Revista Insight Inteligência chega a sua 59 edição, abordando a falta de tempo do mundo moderno e a relação do mercado editorial tradicional, com texto de Cristiane Costa“A Economia da Atenção”. O mercado dos livros digitais, ao em vez de ser visto como culpado, poderia ser encarado como opção para incentivo da leitura. Os enhanced books (“livros turbinados”) trazem novas experiências para o ato. Ainda há outras novidades que agitam o mercado editorial e até que ponto essas novidades podem ainda ser chamadas de literatura? Essa e outras questões são abordadas. Para acessar as outras matérias da Revista, que vão desde...

Literatura e tecnologia: quem influencia quem?

Literatura e tecnologia: quem influencia quem?

As redes sociais e as ferramentas da tecnologia da informação se tornaram uma das mais importantes formas de divulgação das expressões artísticas em geral: literárias, cênicas, plásticas e cinematográficas. Porém, como se dá o caminho inverso? Até que ponto a revolução digital vem modificando e redesenhando o momento de criação das obras e a relação do artista com o próprio trabalho? Quais os frutos dessa nova troca e de que forma ela se relaciona com o público? Este é um ciclo de debates que reúne especialistas e criadores em torno de uma reflexão contemporânea. E nesse debate o tema...

Seminário Internacional Imprensa, história e literatura: o jornalista escritor

Pós-FLIP 2014: Jornalismo e Literatura

As novas funções do autor na era digital

As novas funções do autor na era digital

Na década de 1960, Barthes e Foucault questionaram a ideia de autoria em textos como “A Morte do Autor” e “O Que É um Autor”. Hoje, a função do autor não é mais a de produzir um texto. Ele pode editá-lo, distribuí-lo, comercializá-lo e divulgá-lo. Mas a autonomia ganha por esse autor multitasking não o estaria desviando de sua função original, a escrita?

Fronteiras cruzadas – A ficção no jornalismo e a reportagem na literatura

Sinônimo de neutralidade e oposto à subjetividade, espaço tradicionalmente reservado à ficção, o conceito de objetividade jornalística vem sendo minado desde o século passado pela propaganda política fascista (que mostrou como era possível manipular qualquer fato ou número), pelas teorias psicanalíticas (que demonstraram o quanto o inconsciente influencia nossa interpretação do mundo) e até mesmo pela própria capacidade de simulação da literatura realista. Mas foi preciso que um novo surto de jornalismo-mentira, a partir dos anos 80, revelasse sua fragilidade, mostrando que a objetividade jornalística é antes de mais nada um artifício. Os vários escândalos que abalaram a credibilidade...

iPad – Admirável Livro Novo

iPad – Admirável Livro Novo

Quem compraria de olhos fechados um produto que ninguém experimentou, que ainda não tem certeza de como funciona e que nem sabe exatamente para que vai servir? A partir deste mês, milhares de pessoas (por ora apenas nos Estados Unidos) terão a oportunidade de ver como é realmente o iPad, o mítico e-reader da Apple, aquele que pode fazer com o livro em papel o mesmo que o iPod fez com o CD: torná-lo dispensável. Seriam esses computadores pessoais em formato de prancheta e tela sensível ao toque, chamados tablets, “assassinos tecnológicos”, capazes de transformar o livro impresso em...

Por uma ideia de literatura expandida

O cinema nasce do teatro, mas não é teatro. É uma nova arte, com uma nova linguagem, criada a partir de uma nova tecnologia. O mesmo pode ser dito da fotografia em relação à pintura. E, com algumas ressalvas quanto a seu conteúdo artístico, do rádio e da televisão. Terá chegado a vez da literatura? Até onde ela pode se expandir em hipertextos, hiperlinks, multimídias, quebrando a linearidade da página, antes de se tornar uma nova arte? Enxergar que o livro eletrônico é um novo passo na longa série de invenções de tradições narrativas tira o foco da discussão...

Palestra – Jornalismo cultural: uma introdução

Curso: Qual é o futuro do livro?

Debate – A Busca do amor no universo virtual

Estratégias narrativas na mídia digital

Zona Digital


Literatura Expandida

Cidade de Leitores aborda a cultura na Era da Internet




Curadoria e jornalismo cultural na era digital – Seminário Rumos Jornalismo Cultural