FLUPP 2016

FLUPP 2016

Alexandre Faria, Cristiane Costa e Miguel Conde são todos cúmplices do professor João Cezar. Já levantei a ficha. Fazem parte da banca de narrativas curtas da FLUPP Pensa 2016! As inscrições desse processo (só podia ser processo) terminam AMANHÃ no site: www.flupp.net.br

Informações em disputa: confiabilidade e a legitimidade nas redes virtuais

Informações em disputa: confiabilidade e a legitimidade nas redes virtuais

As redes sociais na internet se tornaram um campo de disputa de versões e narrativas. Como avaliar a confiabilidade e a legitimidade da informação na era da “massa de mídias”? O segundo debate do Rio de Encontros 2016 vai receber a coordenadora do curso de Jornalismo da UFRJ, Cristiane Costa, o midiativista Rafucko e a jornalista e coordenadora da agência de checagem Lupa, Cristina Tardáguila para debater sobre o assunto. O evento será no dia 19 de maio, quinta-feira, das 14:00h às 17:30h no auditório da ESPM/RIO. Ao final do debate, haverá lanche e troca de ideias. Endereço: Rua do Rosário, 111/ 8º andar...

Fanfictions na programação da Flupp

Fanfictions na programação da Flupp

A Festa Literária Internacional das Periferais (FLUPP) de 2015 receberá um grupo de leitores e autores de fanfictions – “ficção criada por fãs”, jovens reescrevem livros ou trechos de obras que admiram e as publicam nas redes sociais. Um bate-papo mediado pela professora Cristiane Costa vai discutir os critérios para a publicação de uma obra, que, para quem entende do assunto, pode trazer um sopro de novidade, como fizeram os bloggers e os youtubers para o mercado editorial. O festival acontecerá nos dias 3 a 8 de novembro.    

Mostra #Tuiteratura


Em encontro da mostra #Tuiteratura, Cristiane Costa, André Vallias e João Cézar de Castro Rocha debateram sobre a influência das mídias digitais como suporte para as criações literárias. O #Tuiteratura é uma mostra interativa de tuítes literários de autores consagrados e novos talentos da literatura contemporânea de língua portuguesa. André Vallias é poeta, designer gráfico e produtor de mídia interativa. João Cezar de Castro Rocha é professor de literatura comparada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. A mediação foi de Felipe Lindoso, jornalista, sócio-fundador e diretor da Editora Marco Zero, e consultor do Instituto Itaú Cultural.

Entrevista – Novas estratégias narrativas nas mídias

Entrevista – Novas estratégias narrativas nas mídias

Em um mundo marcado pelo crescente desenvolvimento dos meios tecnológicos, no qual as possibilidades interativas parecem ser infinitas, até a nossa maneira de ler e escrever dá sinais de mudança. Em entrevista exclusiva ao Globo Universidade, a professora Cristiane Henriques Costa apresenta as novas estratégias narrativas, possibilitadas a partir do surgimento das mídias digitais, e conta um pouco sobre os vários projetos que desenvolve nessa área. “As novas tecnologias, dispositivos, plataformas, programas e aplicativos vêm proporcionando, constantemente, a criação de novos formatos que abrem um labirinto de possibilidades aos autores, produtores e editores”, destaca. Leia mais

A Economia da Atenção

A Economia da Atenção

A Revista Insight Inteligência chega a sua 59 edição, abordando a falta de tempo do mundo moderno e a relação do mercado editorial tradicional, com texto de Cristiane Costa“A Economia da Atenção”. O mercado dos livros digitais, ao em vez de ser visto como culpado, poderia ser encarado como opção para incentivo da leitura. Os enhanced books (“livros turbinados”) trazem novas experiências para o ato. Ainda há outras novidades que agitam o mercado editorial e até que ponto essas novidades podem ainda ser chamadas de literatura? Essa e outras questões são abordadas. Para acessar as outras matérias da Revista, que vão desde...

Literatura e tecnologia: quem influencia quem?

Literatura e tecnologia: quem influencia quem?

As redes sociais e as ferramentas da tecnologia da informação se tornaram uma das mais importantes formas de divulgação das expressões artísticas em geral: literárias, cênicas, plásticas e cinematográficas. Porém, como se dá o caminho inverso? Até que ponto a revolução digital vem modificando e redesenhando o momento de criação das obras e a relação do artista com o próprio trabalho? Quais os frutos dessa nova troca e de que forma ela se relaciona com o público? Este é um ciclo de debates que reúne especialistas e criadores em torno de uma reflexão contemporânea. E nesse debate o tema...

Seminário Internacional Imprensa, história e literatura: o jornalista escritor

Pós-FLIP 2014: Jornalismo e Literatura

As novas funções do autor na era digital

As novas funções do autor na era digital

Na década de 1960, Barthes e Foucault questionaram a ideia de autoria em textos como “A Morte do Autor” e “O Que É um Autor”. Hoje, a função do autor não é mais a de produzir um texto. Ele pode editá-lo, distribuí-lo, comercializá-lo e divulgá-lo. Mas a autonomia ganha por esse autor multitasking não o estaria desviando de sua função original, a escrita?